12/05/10

Comentários anónimos



Hoje, pela primeira vez desde que me empenhei neste blogue, recebi três comentários anónimos (só podia ser, embora um se assumisse indecorosamente com um pseudónimo que atestava quem poderia estar na sua origem...). Além de anónimos eram ofensivos, e vinham a propósito do post que coloquei parafraseando o artigo do presbítero do Porto. Não se tratavam de textos (que notoriamente eram da mesma pessoa) contestá rios do artigo, o que seria , por mim , bem recebido. Eram textos incongruentes, mal-educados, ordinários e que não atentavam unicamente contra mim , as pessoas que cá vêm, ou o meu blogue, mas também (imaginem!) contra o papa e a igreja... arrisco a dizer que quem os escreveu devia estar tomado ou por algum psicotrópico ou por alguma debilidade mental ou emocional, tais eram os disparates indecorosos, e em várias direcções, nãos sendo sequer contestário, era apenas mal intencionado (e muito ébrio...).
Por pudor, optei por não os publicar.

Ressalto , no entanto, o seguinte: os comentários anónimos não me são bem-vindos, mesmo os que possam ser concordantes ou cordatos. Já os comentários de contestação e demarcação de opinião, identificados!, são merecedores da minha atenção e respeito.

A diferença de ideias nunca me foi obstáculo para a construção de muitas amizades, já a falta de educação, a ofensa ordinária e o desrespeito por mim, pelos que me são caros, e pelos meus valores, ideias e ideais, sim!

Já tinha lido alguns posts noutros blogues a propósito deste tipo de comentários, agora verifiquei na primeira pessoa, que não são meritórios de melhor tratamento.

Este, é um espaço meu, onde debito o que me aprouver, mas também aberto à discussão!
Os únicos requisitos são a dignidade e o respeito!

Adenda: e como "o criminoso retorna ao local do crime", não contente com as mensagens da última madrugada, voltou a debitar a que publiquei, agora, nos comentários. Esta, é a menos indecorosa e ordinária que me foi deixada na caixa de comentários, optei por publicá-la para denunciar a falta de "sobriedade" (e dignidade) deste anónimo.
De resto, por mim, este assunto acabou.Não merece nem mais um parágrafo.

7 comentários:

Armando Sena disse...

Infelizmente abundam anónimos e pseudónimos na blogosfera.

Pater librescus vaginoria quer disse...

ai a falta de humor, ámen, a castrar o talento de um humorista, ámen, que só quer orar, ámen, e que para tanto se ajoelhou e agora ...
Do fundo da enciclica in vino veritas et urbi tontaria est, ámen, repudio, abjuro, o carácter ofensivo que a menina imputou aos meus escritos sacrílegos porém com indumentária libertária, ámen ó bispo in vitrolium canzanada.

godgil disse...

Sílvia:

Algum dia haverias que esbarrar com um troll (http://pt.wikipedia.org/wiki/Troll_%28internet%29). Criaturas dessas abundam na blogosfera, confundindo-a com a fossa sanitária que não têm em casa.

Quanto ao post em questão, discordo em absoluto. Não porque seja católico, até porque as minhas simpatias espirituais vão para outras paragens, mais a oriente. Mas porque me parece um tanto demagógico e sem rigor. A criação de Fátima explica-se por uma conjunção de factores históricos: a reacção do país rural contra o radicalismo anti-clerical dos governos da Afonso Costa, maxime a aplicação da lei da separação entre o estado e a igreja e ter ficado de fora dos cadernos eleitorais; a escassez de géneros e a profunda crise social e económica provocada pela recente participação na Grande Guerra; o medo e o colapso moral que esta provocou. Tudo o resto são congeminações. Fica bem.

Fernando Samuel disse...

Um anónimo boçal é das coisas piores que há.

Um beijo.

smvasconcelos disse...

António: concordo contigo,a questão é deveras complexa, e tem de ser vista à luz de uma época de enfraquecimento eclesiástico, alguma desconfiança e descrença popular no estado e no clero, fragilidade económica, tensão social... e elites aml-intencionadas e manipuladoras que temiam perder o seu poder exploratório. Uma coisa é certa: as contas bancárias continuam atestadas. beijos,

Armando e Fernando Samuel: beijo amigo.

Filipe Rebelo disse...

Eu acho que o rapaz o que mais tem é piada, é culto pois fala latinorium e tudo. A "indumentária libertária" é que me intriga pois os "libertários" são simpatizantes da causa anarquista cuja indumentária, como é sabido,é o preto, nesse caso o anónimo estaria trajado de cangalheiro, dada a sua apetência para os comportamentos moribundos.
O que me parece é que o libertário-anónimo, como sabe é de latim, queria dizer libertino e nesse caso estaria nu, tal & qual as suas ideias e a sua personalidade. Mas como não sei, estou muito intrigado....

smvasconcelos disse...

Filipe Rebelo: obrigada por me trazeres o teu bom humor e inteligência:)
Quanto ao anónimo, só posso dizer-te que "fala latim" e espanhol (noutras mensagens posteriores entretinha-se a misturar o dialecto) e é obsceno e boçal.
beijo amigo,