15/01/10

A vida


É vão o amor, o ódio, ou o desdém;
Inútil o desejo e o sentimento...
Lançar um grande amor aos pés d'alguém
O mesmo é que lançar flores ao vento!
Todos somos no mundo "Pedro Sem",
Uma alegria é feita dum tormento,
Um riso é sempre o eco dum lamento,
Sabe-se lá um beijo donde vem!
A mais nobre ilusão morre... desfaz-se...
Uma saudade morta em nós renasce
Que no mesmo momento é já perdida...
Amar-te a vida inteira eu não podia...
A gente esquece sempre o bem dum dia.
Que queres, ó meu Amor, se é isto a Vida!...
Florbela Espanca

Poetisa de paixões , tragédias, languidez e ternura, que também contribuiu para imortalizar o Alentejo, onde nasceu.

3 comentários:

Armando disse...

Todo o sentimento nas palavras inconfundíveis da Florbela. Soberbo.

smvasconcelos disse...

Armando: Muita dor... beijo,

Fernando Samuel disse...

Florbela do Alentejo - Soror Saudade...

Um beijo.