21/10/09

Saramago : Caim


Passados quase 20 anos eis que Saramago se vê novamente acossado por polémica similar aquando da edição do "Evangelho segundo jesus cristo", desta vez desencadeada por um tal de Mário David. Este eurodeputado arroga-se do direito de "sugerir" a Saramago que mude de nacionalidade, tudo porque "discorda" do conteúdo anti-bíblico do novo livro do autor, "Caim", o primeiro homicida da história da humanidade...

Não li (ainda) o livro, mas pelas notícias é manifesto que se trata de uma ficção cujos personagens são deus, caim e a humanidade e pelo desfolhar do qual se aborda, em modo crítico, o dogma bíblico. Sem entrar em preceitos religiosos, até porque esses são respeitáveis seja qual for a doutrina religiosa implicada na escolha de cada um, a minha pergunta é apenas uma:

35 anos após o 25 de Abril ainda se pensa exilar alguém por praticar o direito incontestável de LIBERDADE DE EXPRESSÃO?!

4 comentários:

Armando Sena disse...

Deixem o homem em paz. Apreciem-no pelo que faz de melhor. A escrita. O resto, é conversa.
Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão?

smvasconcelos disse...

Ora bem:)

godgil disse...

Olá Sílvia. Só para destoar, sugiro algo completamente diferente acerca do assunto. Está em http://bocadeincendio.blogspot.com/2009/10/mas-ainda-dao-corda-criatura.html

smvasconcelos disse...

Já li, António, e mesmo não concordando acato a tua opinião. Saramago não precisa de polémicas para vender os seus livros, ainda ontem alguém da Fnac reverberava que era um líder de vendas para além de "Caim". E reitero que se goste ou não de Saramago, os seus temas de eleição literária ou o seu sustento político-ideológico não são passíveis de discussão, assiste-lhe o direito de os proclamar e defender conforme queira.
bjs,