11/08/10

Ainda (e sempre!) António Dias Lourenço

Por Bruno Dias, um texto de António Dias Lourenço carregado de uma ternura sem par, que enternece e comove até às "lágrimas felizes":
"De tudo o que António Dias Lourenço fez e disse, é esta a memória mais marcante que guardo dele. Foi um revolucionário de corpo inteiro e de vida inteira, um lutador transbordante de amizade e de ternura. Depois de torturado quase até à morte, preso no forte de Peniche, este meu camarada escrevia isto:

Peniche, 14-IX-1965
Meu filhito muito querido
[...]
E quase, quase que apostava que não conheces os bonecos de hoje do paizinho. Ora, quem havia de ser!... O nosso ursinho «Papusso», o coelhinho «Rabino», o Ti João Gadelha e mais os irmãos mais pequeninos do Rabino.
Mas que paparoca estarão eles a comer?
Pois é, os marotos andavam todos a comer as cenouras da horta do Ti João Gadelha e nem se lembravam que ele tinha de vendê-las no mercado para comprar sapatos e vestidos e calções para os seus meninos.
- Que é lá isso, patifórios, a comerem as minhas ricas cenouras… - gritou o Ti João quando os viu no meio da horta.
Os irmãos pequeninos do Rabino ficaram muito atarantados mas o Rabino alçou o rabete, alisou os bigodes e disse para o Ti João:
- Ti João Gadelha, não seja mau que nós temos muita fomeca. Que havemos nós de comer, não me diz?
O Ti João Gadelha não é mau lá isso não. Ficou um bocadinho calado a olhar para eles, pôs um dedo na cara pensativo e depois disse-lhes:
- Bom, vou dar-vos de comer, mas cenouras não que me fazem falta. Maria! Maria! Traz duas malgas de milho para esta freguesia! E todos contentes, o «Papusso» a dar aos irmãozinhos pequenos do «Rabino», comeram umas belas pratadas de milho amarelinho. E o Ti João lá ficou a vê-los com as suas bogodaças negras arrepanhadas num sorriso.
Afectuosos abraços aos Padrinhos e um xi-coração apertado e beijinhos cheios de ternura e saudades do
Pai"

6 comentários:

Fernando Samuel disse...

Que mais se pode dizer?...

Um beijo.

Maria disse...

Comovente. Sem mais palavras.

Beijo.

Mar Arável disse...

Beijos tantos

smvasconcelos disse...

Fernando Samuel: pois, é mesmo só deixar que o sorriso desencadeado por tanta ternure se solte...Um beijo!

Maria: Se é! Tinha saudades de ler tanta ternura e beleza num texto... Um beijo

Mar Arável: para ti também.:) E para o António Dias Lourenço.

Luisa disse...

Quanta ternura!

smvasconcelos disse...

Luísa: é mesmo!:)) Bem-vinda.