06/07/10

História do Sr. Mar


Deixa contar...
Era uma vez
O senhor Mar
Com uma onda...
Com muita onda...

E depois?
E depois...
Ondinha vai...
Ondinha vem...
Ondinha vai...
Ondinha vem...
E depois...

A menina adormeceu
Nos braços da sua Mãe...

Matilde Rosa Araújo

Há uns anos, debruçada sobre o mar que povoou tantos delírios e tormentos da minha infância, lia este poema... E adormeci, no resguardo de um futuro que viria, quando, um dia, dobrei o (meu) horizonte.
A Matilde Rosa Araújo foi tantas vezes a inspiração da minha infância, quando a sustinha em palavras doces, quando me acariciava com os seus poemas, e contos.
Foi por ela (e pelo Sebastião da Gama...) que durante outros anos quis ser professora de português.
Não o fui, as ciências fitaram-me, mas ainda hoje, são os poemas e as palavras que me embalam.
Como as ondas.

Bem-hajam, as Matildes da nossa infância!!

4 comentários:

Maria disse...

E como te dizer de quando foi minha professora? E que nos contava estórias? E que nos lia poesia?
Era encantadora...

Um beijo, e obrigada!

Mar Arável disse...

Uma grande senhora

que encantou gerações

a despertar sonhos

Armando Sena disse...

Até para mim, bronco homem da aldeia, este nome era uma referência.

smvasconcelos disse...

Maria: que bom! Imagino o quanto essa memória te revisita... há pessoas que sulcam a nossa existência até ao infinito! Foste bafejada por uma delas.:))
Um beijo grande, e... bem-vinda!:))

Mar Arável: Pois foi.Ela é transversal a tantas, tantas idades.
beijo,

Armando: pois, já vi que em Pedome também havia bibliotecas
itinerantes da Gulbenkian.eh eh :))
beijos,