30/09/10

Reacções a anúncio de medidas de austeridade

Eu não sou de proferir palavrões, mesmo quando estou irada (peso da educação, penso eu, ou timidez) mas ao ler isto, ocorreram-me todos os possíveis, que possam imaginar !!!!!

Almeida Santos diz que sacrifícios pedidos “não são incomportáveis”
29.09.2010 - 21:10 Por Maria Lopes


"O presidente do PS considerou hoje que o esforço pedido hoje pelo Executivo com novas medidas de austeridade “não são sacrifícios incomportáveis” e que “o povo tem que sofrer as crises como o Governo as sofre”.
Questionado pelos jornalistas à entrada da sede do PS, onde vão decorrer esta noite reuniões do Secretariado Nacional e da Comissão Política, convocadas por José Sócrates, Almeida Santos recusou comentar o tempo que o Governo demorou a tomar tais decisões, dizendo que o Executivo “tentou tomar em conta a possibilidade de não serem necessárias”.O histórico socialista lembrou que “esta crise só tem paralelo nos anos 20 do século passado” e reconheceu que “são medidas impopularíssimas”, mas que deverão chegar para “afastar o FMI”. “Não é qualquer Governo que toma medidas como estas e está disponível para sofrer as consequências”, vincou, afirmando porém que “o povo tem que sofrer as crises como o Governo as sofre”.“Eu não gosto do FMI, devo dizê-lo. Mas o FMI já nos salvou duas vezes no passado, não é assim um problema de uma gravidade excepcional [o FMI intervir]”, realçou o presidente do PS, acrescentando: “Se precisarmos que o FMI nos salve, talvez essa seja de facto a nossa salvação. Mas não sejamos tão pessimistas!”Para Almeida Santos “é evidente que a bola agora está no lado da oposição”, e avisou que “não se pede ao PSD que seja co-responsável. Pede-se que por razões patrióticas aprove o orçamento”. Afirmando que “a despesa não tem grande margem de manobra”, deixou um repto: “Dizem que se corte na despesa, mas não dizem onde. Se isto não chega, digam onde.”

5 comentários:

Armando Sena disse...

Eu sou de dizer palavrões, faz parte da minha natureza transmontana, não sei se de influência espanhola, que, dizem eles próprios, os usam quase como pontuação. Mas, isto nem palavrões me suscita. Deixo só uma pergunta. Como chegamos aqui?

Sopro leve disse...

Estes senhores são criminosos, pois não olham a meios para prosseguirem a sua politica criminos, em que tiram o pão da boca a quem menos tem...
Enquanto isso os seus donos vão enchendo os bolsos, à custa da exploração de quem só tem a sua força de trabalho para viver...
Estes são aqueles que há meia de duzia de dias, quando confrontados com os chorudos ordenados e regalias de administradores, respondiam se eles ganham isso é porque merecem...

Nelson Ricardo disse...

O que move esta gente (partidos do Capital, economistas e politólogos do sistema, jornalistas, etc.)é a vontade de servir todo e cada capricho dos seus donos, os grandes grupos económicos e financeiros.

E o combustível a que recorrem para decretarem mil acções contra os interesses do povo é a mais abjecta falta de vergonha.

Não tenhamos ilusões. Numa altura de assalto às condições de vida dos trabalhadores, só os comunistas podem concretizar a vontade popular num programa político de progresso social e tendo em vista a edificação do Socialismo.

Bjs.

Fernando Samuel disse...

Podes repetir os Vampiros?...

Um beijo.

smvasconcelos disse...

Armando: se repensarmos a História de há 34 anos atrás não é difícil perceber como aqui chegámos...Governos sucessivos de cáfilas e párias!
beijo,

Sopro leve: E por o serem. criminosos, é que a luta tb se deveria orientar para a responsabilização desta situação por parte destes energúmenos.
Beijo

Nelson Ricardo: Os lacaios adaptam o seu discurso aos seus donos.
Um beijo,

Fernando Samuel: Repito, sim! Como é que se podem fazer afirmações de uma irreponsabilidade tal, além de portadoras duma insensibilidade e desrespeito por quem os elegeu, ou seja, "POR QUEM MAIS ORDENA": - O POVO!! - ? Que nojo...
Um beijo,