21/09/10

Este Inferno de Amar

*
Este Inferno de Amar
Este inferno de amar - como eu amo!-
Quem mo pôs n'alma... quem foi?
Esta chama que alenta e consome,
Que é a vida - e que a vida destrói-
Como é que se veio a atear,
Quando - ai quando se há de ela apagar?

Eu não sei, não me lembro: o passado,
A outra vida que dantes vivi
Era um sonho talvez... - foi um sonho -
Em que paz tão serana a dormi!
Oh! que doce era aquele sonhar...
Quem me veio, ai de mim! despertar?

Só me lembro que um dia formoso
Eu passei... dava o Sol tanta luz!
E os meus olhos, que vagos giravam,
Em seus olhos ardentes os pus.
Que fez? eu que fiz? - Não o sei;
Mas nessa hora a viver comecei...

Almeida Garret *

5 comentários:

Armando Sena disse...

Do Almeida, do das viagens! Quem diria?

Mar Arável disse...

Olhos nos olhos

precisam-se

Bj

Nelson Ricardo disse...

As provações que o Amor nos apresenta são desafios a nos comprometermos ainda mais por aquilo que afirmamos amar. Haja acima de tudo, Coragem! e a certeza do coração estar no lugar certo.

Bjs.

Fernando Samuel disse...

Grande Garrett - há quanto tempo não o lia!

Um beijo.

smvasconcelos disse...

Armando: é bem bonito!:) beijo,

Mar Arável: Precisam-se! beijo,

Nelson Ricardo: também acho que o amor é um grande compromisso!E uam grande aventura de honestidade, coragem, desafios...vida.
beijo,

Fernando Samuel: :)) E é bom retornar ao que gostamos...:)) Beijo,