01/05/11

Palavras para a Minha Mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz.
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente.

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente.

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo,
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz.

lê isto: mãe, amo-te.

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.

José Luís Peixoto

4 comentários:

Mar Arável disse...

Do ventre

até à foz

Fernando Samuel disse...

LINDO!

Um beijo.

Paula disse...

No dia em que perdemos a NOSSA mãe, concluímos que por mais que se tenha dito e feito... nada foi demais e ... tanto ficou por dizer... Perdi a minha. Partiu olhando nos meus olhos e naquele último olhar muito dissemos sem palavras e muito mais ficou por dizer

svasconcelos disse...

Mar Arável: :) É para onde caminhamos... beijo,

Fernando Samuel: também achei e não hesitei em trazê-lo para aqui.:) beijo,

Paula: Acho que é um denominador comum a todos nós: nunca dizemos tudo o que queremos a quem gostamos. Não pela forma verbal, porque um olhar é capaz de selar a vastidão doa afectos. beijo,